.

quarta-feira, 17 de março de 2010

"Solidão - Poema"


Poeta Cigano.

“Afogas no teu mar de silêncio. Afundas em teu abissal orgulho, pois não consegues trazer à tona a verdade da vida, quando despencas no abismo da miséria da’lma e da escuridão.
Dispensas os cruciais valores da existência, quando vagas às cegas pelo teu mundo irreal de insensatez, morbidez, fragilidade e egoísmo. Teu coração se fecha, tua alma se retrai e bloqueia este tempo de ignorância pessoal só existente dentro de ti.
Abra uma janela, veja o fulgir do sol, o cintilar das estrelas, compartilhe os cânticos felizes dos pássaros e aspire as fragrâncias das flores. Curva-te diante da infinita beleza da vida. Viva.
Se desarme, abrace as pessoas, o mundo, a vida não é só espinhos, como também, felicidade e amor. Seja determinado, se supere e, seja seu próprio herói.
Não firas a si próprio, não sejas a adaga cortante que, rasga os peitos onde moram corações que se dizem mutilados, injustiçados e de aparências agonizantes.
Sobreviva, lute, busque novas estradas, novos caminhos. Respire fundo. Ergas a espada da vitória nesta batalha cruel que fustiga tua’lma. Seja incansável.
Liberte o guerreiro que habita teu interior e decida esta guerra.
Aflores teus reais sentimentos, descortine o véu que o cegas e, se liberte dos grilhões férreos que o aprisiona, despertando para o mundo: Renasça. Veja um mundo real com vicissitudes e defeitos e todos os demais ingredientes, mas o palco ideal para que nós, simples coadjuvantes, possamos exercer o livre arbítrio de saber vivê-lo.”







1 Comentários:

  • Poeta Cigano...
    Ela, a Solidão nos maltrata muito...
    Não a deixe muito tempo morando contigo...
    Dê asas à imaginação e voe...
    Voe bem alto... à procura de um bem...de uma alegria, que somente a própria liberdade saberá onde está...
    Adorei ter vindo aqui...

    Marilis

    Por Blogger VIDA E LIBERDADE, às 17 de março de 2010 21:46  

Postar um comentário

<< Home